quarta-feira, 4 de maio de 2011

Auto/fagismo

Ando enamorada de mim
Me olhando pela fresta
Espreitando meus passos
Me degustando calmamente
sob a luz do meio dia.
A devorar minhas ânsias
encobertas pelo tempo,
Saboreando meus mistérios
A delirar de desejo
pelo exalar dos feromônios.
As feras da minha alma
se excitam ao me ver passar,
salivam ósculos.
Estou no auge da entrega
Debruçada na janela da minha própria intimidade
A declara-me amor, luxúria e poesia
Mesmo incerta de quem sou
Estou plena de mim..

Sandra Freitas 19/04/2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário