quarta-feira, 4 de maio de 2011

Eu na sua íris

Ela baila sorridente
Nos meus sonhos.
Dança tango, dança mambo e balé.
E se veste sensual
Me deixa bambo,
que loucura
que é amar essa mulher.
Ao sabor do vento
seus fios dourados,
vão cobrindo os seus olhos cor de mel
E o ingrato vento traz-me seu perfume
que transforma meu inferno no seu céu.
Vou tocando sua pele em pensamento e
abraçando o seu corpo quente e nu.
Vou morrendo de pensar nesse momento
Mas eu nunca chego a lugar algum.
Que tortura são meus dias enredado
nesse amor que me maltrata e me definha
E ela cínica se ri do meu enfado,
Por que quero uma mulher que não é minha.

Sandra Freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário