quarta-feira, 4 de maio de 2011

Meta:morfosear

Faz parte do meu desalinho
Meu desatino
Insensatez
Vez por outra delirante
arrogante
embriaguez.
Sem pretensão,
Sem intenção,
Apenas enamorar a loucura
Ser a outra a derramar impropérios
revertérios
da minha sanidade abalada.
Nada pessoal
Estou apenas saindo do casulo...
Abrindo as asas
Voando livre
Em minha ínfima vida
de vinte quatro horas.

Suficiente
Pra embalar sonhos
Bolinar as margaridas
Assediar as rosas
As bromélias
As vermelhas
As amarelas
Libidinar as hortências explodidas..
Nessa orgia floral em pleno inverno noturno
Nessa eternidade de vinte quatro horas...
Nada pessoal..

Sandra Freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário