quarta-feira, 4 de maio de 2011

A porta

Hei de fechar a porta
aberta por tantos anos
que me conduz a memórias
e história de prazer indelével...
Hei trancá-la , ainda que me custe
dores e lágrimas e dissabores
pela impossibilidade de trilhar os caminhos
que ela me aponta..
Hei de dizer adeus a tantas noites tórridas
de amores e calores, viagens em cometas,
partos de estrelas,
acalentados pra depois de amanhã..
Hei de fechá-la e estancar os soluços
que escorrem riachos do meu coração fragmentado..
hei de trancá-la ...

...Mas você engoliu as chaves
...que dissolveram-se no seu sangue.

Sandra Freitas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário