segunda-feira, 27 de junho de 2011

a lá dorme meu amor

Meu medo em sapatos de algodão
caminha nos escombros da tarde,
Sem alarde ou exaltação
apenas sopra frio, notas doces do Alcorão.
O cobertor saudade enovela
o amor, a Lá do outro lado
do fundo de mim, adormecido que
só ele.....
Dorme meu bem, que o tempo
vai e vem...
Minha lamúria vã
sentir-te é haram..

Sandra Freitas

Um comentário: