quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Transe






Falha memória,

lembranças vãs,

E não reconheço

aquela de outrora

Vitrilhos refletem

 escura manhã:

Pouco deslumbre,

nenhum vislumbre.

Pedaços do ontem,

recortes por vir da

linha que foge

no amor sem alcance

que  “eu” já me perdi.


Sandra Freitas


Nenhum comentário:

Postar um comentário