segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

E assim..


Dói pensar na tristeza, lamentá-la, escrevê-la, desenhá-la. Dói juntar os cacos, cortar os dedos, colar, quebrar de novo. Dói ,mas é uma dor cheia de paz. Uma paz que envolve o ar, os lençóis, as paredes, uma paz alardeando: que tudo está exatamente onde sempre devia estar.

Sandra Freitas

2 comentários:

  1. Minha querida

    Uma verdade mesmo,por vezes temos mesmo que despir o que nos dói e seguir em frente.

    Beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  2. Lindo amiga!
    Amo sua poesia, porque ela é forte, vibrante.
    Bjinhoss XD

    ResponderExcluir