terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Ectoplasma

Hoje lembrei de você, mas sem dor ou tristeza. Apenas uma lembrança boa, com gotinhas mínimas, homeopáticas de ciúme, por não te ter mais por perto. Mas não chorei, ao contrário, sorri. A vida ainda me prega peças, e eu adoro ser surpreendida por ela. Entrei no prédio/senzala das suas dores e enquanto subia os degraus, imaginei seus pés passando por ali todos os dias, mirei todos aqueles espelhos gigantes do saguão e vi seu rosto cansado a procura do seu ID/Ego/Super-ego. Seu semblante calmo e seus olhos pedintes me olharam diversas vezes, mas me dei conta que sua presença/essência  já tinha ido embora de mim a muito tempo.
 
Sandra Freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário