quinta-feira, 13 de junho de 2013

Foi assim..



Bem meninas, e foi assim...eu só esperava no meu Senhor, não esperava muito, só que a dor passasse. Eu ainda chorava abraçada ao travesseiro, mas estava em paz. Foi nesse cenário que ele chegou. Demorou (pra mim, claro), mas chegou. Chegou na hora exata marcada do relógio de Deus. Não dei muita confiança, "gato escaldado". Minha única expectativa era parar de chorar e ser arrebatada novamente por aquele frio na barriga. Esperei, um mês, dois, um ano, dois anos, três anos...e nada. Nada de suor nas mãos, nada de frio na barriga, nada de borboletas no estômago, nadinha. Só mesmo uma cumplicidade transcendental, quase coisa de gêmeo siamês, uma amizade profunda, uma parceria inigualável. Era Deus me dando mais uma lição; que as vezes o Amor verdadeiro entra como um gato sorrateiro pela porta do cotidiano, silencioso, sem alardes e sem males, vai se enroscando manhoso no coração da gente. Até que de repente surge a oportunidade de você abrir mão, deixar ir embora, dizer adeus, daí você percebe que prefere morrer que viver sem ele. Não é vulcão, nem explosão, é riacho manso, nasce um filete de água, mas cresce ao longo do percurso e desagua cheio no mar. Por isso quanto mais o tempo passa melhor fica...Eu te amo Leonardo de Oliveira...e quero passar todos os dias da minha vida ao seu lado, por que foi Deus te trouxe para ser a minha cura.

Sandra Freitas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário