terça-feira, 16 de setembro de 2014

Expectativa

Eu desejo a você dias ensolarados,
céu sempre azul.
Chuva? Só a noite, pra embalar sonhos.
Desejo lareira acesa no inverno, se não for possível, um edredom macio e quente, basta.
Desejo   uma xicara de café fresco ao lado do seu PC.
Desejo uma barra de chocolate meio amargo pra adoçar o expedinte (sem culpa).
Desejo sorrisos escancarados nos cantos dos olhos e da boca.
Abraços apertados, beijos molhados, sono pesado.
Luz para ver o Invisível, coragem pra viver o impossível.

Sandra Freitas.

Velho

Vou me despindo do velho
com todos os seus trapos e farrapos
em tantas camadas cinzentas e empoeiradas
vou  abrindo leveza em cada passo, e enraizando
 a planta dos pés junto a fonte.
Mas a cada despir, um novo tecido roto ressurge, corroendo minha
respiração, sangrando minha garganta, molhando meus olhos.
O Jó que antecede a queda ciranda de mãos dadas com o Pedro
caco de barro, com o Saulo antes da Luz. Brincam de esconder na minha bondade velada.
E cantarolam em uníssono a canção da obstinação, Jacó rege o coro
e eu morro.
Tomarei o cálice da salvação, subirei o monte caveira, e ainda que não derradeira
seguirei meu Mestre.

Sandra Freitas